top of page

Vendas de etanol ultrapassam 3 bilhões de litros em janeiro




A moagem de cana-de-açúcar na segunda quinzena de janeiro na região Centro-Sul totalizou 714,01 mil toneladas. Nesse mesmo período, no ano anterior, a quantidade processada foi de 307,30 mil toneladas. No acumulado da safra 2023/2024, a moagem atingiu 646,05 milhões de toneladas, ante 543,14 milhões de toneladas registradas no mesmo período no ciclo 2022/2023 – um avanço de 18,95%.

Operaram na segunda quinzena de janeiro 21 unidades produtoras na região Centro-Sul, sendo seis unidades com processamento de cana, sete empresas que fabricam etanol a partir do milho e oito usinas flex. No mesmo período, na safra 22/23, operaram 13 unidades produtoras. Ao final da quinzena, uma unidade encerrou a moagem, enquanto no acumulado já se contabilizam 249 unidades. No ciclo anterior, até 1º de fevereiro, 251 usinas haviam terminado com seu período de processamento.

A qualidade da matéria-prima colhida acumulada desde o início da safra até a segunda metade de janeiro, mensurada em kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar processada, apresentou redução de 1,13% na comparação com o mesmo período do último ciclo agrícola, atingindo 139,54 kg de ATR por tonelada nesta safra.


Produção de açúcar e etanol


A produção de açúcar na segunda metade de janeiro foi de 28,05 mil toneladas. No acumulado desde 1º de abril, a fabricação do adoçante totaliza 42,13 milhões de toneladas, contra 33,56 milhões de toneladas do ciclo anterior (+25,52%).

Na segunda quinzena de janeiro, 313,39 milhões de litros (+46,91%) de etanol foram fabricados pelas unidades do Centro-Sul. Do volume total produzido, o etanol hidratado alcançou 218,96 milhões de litros (+113,28%), enquanto a produção de etanol anidro totalizou 94,43 milhões de litros (+14,66%). No acumulado desde o início do atual ciclo agrícola até 1º de fevereiro, a fabricação do biocombustível totaliza 32,11 bilhões de litros (+15,05%), sendo 19,23 bilhões de etanol hidratado (+20,02%) e 12,88 bilhões de anidro (+8,33%).

Da produção total de etanol registrada na segunda metade de janeiro, 89% foram provenientes do milho, cuja produção atingiu 280,10 milhões de litros neste ano, contra 200,65 milhões de litros no mesmo período do ciclo 22/23 – aumento de 39,60%. No acumulado desde o início da safra, a produção de etanol de milho atingiu 5,17 bilhões de litros – expressivo avanço de 41,98% na comparação com igual período do ano passado.


Vendas de etanol


No mês de janeiro 2024, as vendas de etanol totalizaram 3,00 bilhões de litros, o que representa aumento de 38,22% em relação ao mesmo período da safra 22/23. Esse volume comercializado, puxado pelo forte aumento nas vendas de etanol anidro e hidratado na 2ª quinzena de janeiro, é o maior desde outubro de 2020. O volume comercializado de etanol anidro no período foi de 1,11 bilhão de litros – aumento de 1,34% – enquanto o etanol hidratado registrou venda de 1,89 bilhão de litros – crescimento de 75,54%.

No mercado doméstico, as vendas de etanol hidratado em janeiro totalizaram 1,77 bilhão de litros – variação de 75,59% em relação ao ano passado. A comercialização de etanol anidro, por sua vez, foi de 1,03 bilhão de litros – aumento de 6,48%. Com esse resultado, o volume comercializado no mercado interno ultrapassou a marca de 2,8 bilhões de litros, o maior desde outubro de 2019.

O resultado reverbera a competitividade do biocombustível nas bombas que já dura meses. Na última semana, dados da ANP apontam uma paridade média de 61,7% entre o preço do hidratado e da gasolina C.

No acumulado da safra 23/24, a comercialização de etanol soma 26,95 bilhões de litros, representando um aumento de 9,37%. O hidratado compreende uma venda no volume de 16,27 bilhões de litros (+15,68%), enquanto o anidro de 10,68 bilhões (+0,99%).

コメント


bottom of page