Venda direta de etanol: Usinas e postos já podem adotar opção em alguns estados, mas negócios ainda



O governo federal assinou em agosto deste ano duas Medidas Provisórias (MPs), a 1063 e a 1069, relacionadas à venda direta de etanol e a 'infidelidade à bandeira' para os postos de combustíveis. Semanas depois, alguns estados, com regulamentação finalizada, já podem adotar as transações como opção, mas os negócios ainda não ocorrem.

O Notícias Agrícolas entrevistou ao longo desta semana entidades representativas do setor sucroenergético nos cinco maiores estados produtores de etanol do Brasil para verificar como está a situação de comercialização com as MPs, além dos benefícios ao setor e ao consumidor final em meio alta dos preços dos combustíveis.

Em linhas gerais, ambas as entidades ouvidas destacaram ser favoráveis à venda direta de etanol das usinas diretamente aos postos, sem as distribuidoras, e que as MPs podem trazer benefícios aos consumidores, como queda de preço, ainda que isso leve algum tempo, e que o setor terá mais uma opção de negócio, já que as distribuidoras seguirão.

"Nós acreditamos que essa liberdade econômica vai possibilitar ganhos logísticos de forma que o maior beneficiado será o consumidor, porque poderá reduzir o custo do etanol na bomba e dar mais opções de compra. Isso traz mais racionalidade ao sistema. Com relação ao setor energético, o ganho será através do aumento de consumo de etanol", destacou Luís Henrique Scabello de Oliveira, presidente da Canasol Associação dos Fornecedores de Cana (Canasol) da região central de SP.

Em São Paulo, maior estado produtor e consumidor de etanol do país, os negócios ainda não ocorrem através da venda direta. "A MP ainda é muito recente... A questão tributária ainda é bastante complexa para ser resolvida, não só de ICMS, mas de outros impostos e muitos postos ainda têm contratos com as distribuidoras. É muito cedo ainda pra ver esse impacto", pontua Oliveira.

"Na medida em que um posto começar a vender mais barato, os demais vão ter que acabar se enquadrando", complementa o presidente da Canasol.


Fonte: Noticias Agricolas