Valor da produção agrícola nacional cresce 30,4%, afirma IBGE



Em 2020, o valor da produção agrícola do país atingiu R$ 470,5 bilhões, 30,4% maior que em 2019. A área plantada totalizou 83,4 milhões de hectares, 2,7% superior à do ano anterior. A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas chegou a 255,4 milhões de toneladas, 5,0% maior que a de 2019. Os dados são de estudo divulgado, nesta quarta-feira (22), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essas três variáveis foram recordes da série histórica da Produção Agrícola Municipal (PAM), que investiga os principais produtos agrícolas em todos os municípios do país desde 1974.

Juntos, os 50 municípios com os maiores valores de produção agrícola geraram R$ 106,9 bilhões, ou 22,7% do valor total da produção agrícola do país. Vinte deles eram de Mato Grosso, seis da Bahia e seis de Mato Grosso do Sul. Sorriso (MT) manteve a liderança, com R$ 5,3 bilhões, ou 1,1% do valor nacional. A seguir, vieram São Desidério (BA), com R$ 4,6 bilhões, e Sapezal (MT) com R$ 4,3 bilhões.

Entre as culturas agrícolas que mais contribuíram para o recorde da safra 2020 está a soja, com produção de 121,8 milhões de toneladas, gerando R$ 169,1 bilhões, ou 35,0% acima do valor da safra de soja 2019.

A produção de milho cresceu 2,8%, um novo recorde, chegando a 104,0 milhões de toneladas, que geraram R$ 73,949 bilhões, 55,4% a mais do que em 2019. Pela primeira vez desde 2008, o valor de produção do milho superou o da cana-de-açúcar (R$ 60,8 bilhões).

MT concentra 20 dos 50 municípios com os maiores valores de produção agrícola


Em 2020, os 50 municípios com os maiores valores da produção agrícola geraram R$ 106,9 bilhões, ou 22,7% do total do país. Destes, 20 pertenciam a Mato Grosso. A Bahia e Mato Grosso do Sul, com seis municípios cada, figuraram na sequência.

O município com o maior valor da produção agrícola foi, novamente, Sorriso (MT): R$ 5,3 bilhões, ou 1,1% do total nacional, com alta de 35,5% ante 2019. Sorriso gerou R$ 1,9 bilhão com a produção de milho, 58,3% a mais que em 2019, R$ 2,8 bilhões com a produção de soja (29,1% a mais) e R$ 454,1 milhões na produção de algodão herbáceo (em caroço).

O recorde de R$ 470,5 bilhões do valor da produção da safra 2020 foi influenciado pela elevada demanda do mercado internacional e pelo câmbio favorável às exportações, colaborando para que houvesse ampliação das áreas plantadas de soja, milho e algodão, mandioca e feijão, bem como maiores investimentos nos cultivos agrícolas. A estiagem severa no início do ano, no Rio Grande do Sul, derrubou a produtividade das lavouras de soja, milho, trigo e outros, mas as condições climáticas foram bastante favoráveis no restante do país.


Fonte: JornalCana